Carlos Alberto Braga
A voz de todas as coisas

12 

É então que o fogo devora as águas,
à terra volta, nela se fixa.
Tal é a força que fende o que é sólido,
sublima a consciência
e com o peito estropiado como veio,
o espírito corporiza.
O caminho é de novo exterior.
Descerro os olhos, a árvore reintegra as raízes.
O nome da vida invoco e a vida me reanima:
chegada a hora, não profiras mais palavras,
escuta a voz de todas as coisas.

20 em stock

1.ª ed.: junho 2021
150 x 210 mm | 56 pp.
ISBN 978-989-8029-90-4

Imagem da capa: Francisco de Goya, pormenor de Perro semihundido [1819-1823].

Share This